domingo, 25 de setembro de 2011

Feira de troca de livros em POA!

Hoje, dia 25, quem visitar a Redenção das 10h às 17h, será convidado a participar de uma grande troca de saber. Em sua 10ª edição, a Feira de Troca de Livros reunirá parte do seu acervo e de mais 15 bibliotecas da Grande Porto Alegre, com um grande objetivo: fazer os livros circularem!

Para participar é simples: traga os livros que você já leu e troque por
aqueles que você quer ler! Além de atualizar sua coleção, a troca ajuda a diversificar o acervo das bibliotecas. Serão centenas de publicações
esperando para serem trocadas - e retrocadas - pelas mais de 10 mil pessoas que frequentam o evento anualmente.

A Feira é organizada pela Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre, através da Biblioteca Pública Municipal Josué Guimarães. Uma eventual chuva não será problema: a proteção às pessoas e às páginas será garantida por uma estrutura coberta.

Uma dica importante: não traga dinheiro nem cartão de crédito, indispensável serão as mochilas, as sacolas, os carrinhos de feira... Tudo que possa facilitar o transporte da principal atração do dia: os livros.

O QUE: 10ª Feira de Troca de Livros de Porto Alegre
QUANDO: 25 de setembro (domingo), das 10h às 17h.
ONDE: Parque Farroupilha (junto ao Monumento ao Expedicionário).
INFORMAÇÕES: 3289 8079 / 3289 8078.
cll@smc.prefpoa.com.br



Lembrem-se: conhecimento e sabedoria não devem acumular só na sua estante!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Mais de O Hobbit - reedições e comentários

“Em fins de 1932, Tolkien pôde entregar à Lewis um maço de papéis para serem lidos. Era o esboço incompleto daquilo que se tornaria O Hobbit: ou Lá e de volta outra vez (The Hobbit or There and Back Again). Lewis descreveu sua reação ao livro numa carta para Arthur Greeves: ‘Foi esquisito ler esse conto de fadas – é exatamente o que ambos teríamos almejado escrever (ou ler) em 1916, de modo que se sente que ele não está inventando, mas meramente descrevendo o mesmo mundo para o qual todos os três temos passaporte.’”
Quando eu li este trecho, fiquei até emocionada, porque tenho uma relação com os contos da Terra-Média, que às vezes eles me vêm aos olhos e se tornam reais, e defendo a teoria de que Tolkien não simplesmente “inventou” tudo, mas isto sempre esteve lá, como num mundo paralelo, esperando para ser exposto (rsrsr). De fato, esta é a grande dimensão de qualquer boa história de fantasia, trazer a idéia de realidade co-existente. Mas Tolkien não é só isso.

A primeira edição do Hobbit foi publicada em 21 de setembro de 1937, completada por ilustrações do próprio Tolkien, com tiragem de 1.500 exemplares. De fato, o Hobbit começou como história contada do pai para os filhos John e Michael, antes de 1930, mas começou a ser escrita e tomar corpo apenas depois desse ano. O caráter infantil predomina em seu estilo, e “inicialmente a história era independente do nascente ciclo mitológico O Silmarillion, e só mais tarde foi incorporada ao seu mundo e História inventados. O conto introduziu os hobbits na Terra-Média, afetando dramaticamente os acontecimentos ali.”

Nesta fantasia, o hobbit herói é o sr. Bilbo Bolseiro, que descobre um anel mágico, o Um Anel. Esta descoberta é o elo entre O Hobbit e sua grande continuação, O Senhor dos Anéis. Em 1951, houve uma nova publicação do livro (O Hobbit), revisada, por conta de alterações no capítulo 5 que deveriam ser feitas para darem sustento e correta continuidade entre os dois livros, de acordo com o grande significado do achado do Anel.

Fato impressionante é a habilidade de Tolkien em ligar suas obras, em sustentar seus mitos e suas correlações. O conhecimento do próprio trabalho é além da “simples” imaginação, de uma sabedoria inigualável.

Também é notável a sua habilidade em ajustar ao nível infantil o grande poder mitológico empregado, utilizando-se de nomes simples, que em outras obras tomam formas élficas complexas.

Fonte: tirei muitos dados e trechos do livro “O Dom da Amizade – Tolkien e Lewis”, que estou lendo e é ótimo, do autor e grande estudioso Colin Duriez.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Dias de hoje

Hoje, além de ser meu aniversário e dia da árvore, também foi um dia importante pra Tolkien:

Em 21 de setembro de 1937 era lançada a primeira edição do O Hobbit - ou Lá e de volta outra vez.


Fazem, portanto, 74 anos do aniversário do Hobbit!
que lindo!


Existem detalhes posteriores que mudaram coisas em O Hobbit...mas falarei em breve!


Fonte: Google. Creio que não é esta a primeira edição...mas é bonita!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Música também, e é Chris Cornell

Não tem igual...a voz é sem comparação, mesmo.

Música, poesia e alma

Podem falar, mas acho linda essa música, muita essência. (Forfun)




Corre pra varanda e vem cá ver
Faça sol ou chuva
Um lindo dia vai nascer
No céu um degradê
Meus olhos imóveis fitam o mar
Vim pedir a força e as bençãos de Iemanjá
Amor pra me guiar
Vi os meus olhos refletidos pelos seus
E as imagens de um futuro que já aconteceu
Qualquer canto pode ser a nossa casa
O nada, o tudo, o todo, o tudo e o nada
Corre pra varanda e vem cá ver
Faça sol ou chuva
Um lindo dia vai nascer
No céu em degradê
Flores nascerão nesse jardim
Nuvens no horizonte dessa imensidão sem fim
O que trarão a mim?
À sombra da amendoeira me abriguei
Deitei nos braços de Morfeu
E quando eu acordei
Vagalumes visitavam a nossa casa
O nada, o tudo, o todo, o tudo e o nada
Corre pra varanda e vem cá ver
Faça sol ou chuva
Um lindo dia vai nascer
No céu um degradê

domingo, 4 de setembro de 2011

Pró-Animal e Vanguarda Abolicionista encaram 82 mil pessoas na Expointer

Intro: Em Esteio, RS, temos a maior feira do Agronegócio do Brasil. Nela, vemos todo tipo de comércio deste interesse, e entre eles, uma grande variedade de animais ficam ali expostos cedendo suas imagens e vidas aos interesses alheios (lê-se produção, lucro, peles, carne). Além do grande apelo costumeiro ao valoroso "churrasco" (que pra mim só tem cheiro de queimado...). Então, grupos ativistas de São Leopoldo e Porto Alegre fizeram a tradicional manifestação, que está relatada no blog da Vanguarda Abolicionista e que reproduzo aqui.

Vanessa Dalla

Fotos: Márcio de Almeida Bueno
Uma prova de resistência física. Sob calor de 30 graus, Sol forte e sensação térmica ampliada pelo asfalto, as ONGs Projeto Pró-Animal, de São Leopoldo, e Vanguarda Abolicionista, de Porto Alegre, estiveram realizando mais um protesto em frente à Expointer, em Esteio. Das 9h até o final da tarde de domingo, 4 de setembro, ativistas estiveram levando a mensagem da libertação animal a um público de 82 mil pessoas, segundo números oficiais.


A multidão era tamanha que, por mais de uma vez, a Polícia Rodoviária Federal gentilmente solicitou que os manifestantes trocassem o ponto de base da ação, para facilitar o fluxo de pessoas. A fila para entrada na 34ª Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários - uma das maiores do mundo, ia quase até a estação do metrô


Pró-Animal levou um banner sobre abate feito exclusivamente para o evento, reproduzido em milhares de panfletos, enquanto a Vanguarda compareceu com suas faixas e banners coloridos de praxe, além de milhares de panfletos focados na chinchila - o RS é um grande exportador de pele desse animal para a China. Diversos criadores de chinchila estavam expondo na Expointer, e muitas pessoas se sensibilizaram ao ver um animal 'tão fofo' engaiolado à espera da esfola.

A VAL focou na indústria de peles, na qual o RS é líder nacional
Alguns pecuaristas passavam e olhavam com desconfiança ou indignação para os cartazes dos ativistas - especialmente um com com os dizeres 'Sou gaúcho mas sou contra a exploração animal'. Na abordagem, a proposta dos animalistas foi de que então cedessem espaço em suas fazendas para aposentadoria de cavalos retirados da carroça pela ONGChicote Nunca Mais, parceira dos manifestantes. Todos acolheram bem a idéia de dar uma oportunidade de descanso vitalício a eqüinos cegos, aleijados ou idosos, e prometeram entrar em contato posterior.


A despeito do antagonismo de idéias, gaúcho tradicionalista interessou-se em adotar um cavalo e um cachorro para deixar em sua fazenda

Um adolescente aproximou-se dos ativistas para contar que era vegetariano, assim como o pai, criador de ovelhas que deixou de comer carne. "Ele não mata mais, e nem vende as ovelhas, para outros não matarem", contou o jovem, que pegou diversos impressos para mostrar à família. Ao final da tarde, exaustos e com todos os panfletos distribuídos, ambos os grupos encerram a ação, considerada plena de validade e êxito.

Sobre o asfalto ardente, carroças também estiveram circulando pela Expointer

Clique aqui para ver como foi o protesto na abertura da Expointer, no domingo anterior:Vanguarda Abolicionista realiza seu tradicional protesto em frente à Expointer
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...